Anexo: Acne

É uma afecção da pele que ocorre por um transtorno da unidade pilossebácea. Afeta cerca de 80% da população jovem.

1. Causas

  • Internas – são multifatoriais, por influência principal dos hormônios androgênicos.
  • Externas – acne cosmética, que pode ser evitado pelo conhecimento da comedogenicidade de certas substâncias ou fatores físicos, como a radiação UV.

2. Efeitos

  • Hiperatividade da glândula sebácea;
  • Queratinização folicular com obstrução do conduto e do óstio, resultando em comedões;
  • Proliferação de microorganismos, sendo particularmente importantes a bactéria Propionebacterium acnes e o fungo Pityrosporum ovale. Esses microorganismos produzem enzimas (esterases) capazes de hidrolizar os triglicéridos do sebo, liberando ácidos graxos livres, que são irritantes;
  • Inflamação, com aparecimento de pápulas e pústulas.

Profissional de estética

A atuação do profissional de estética com relação à acne restringe-se a minimizar seus efeitos pela orientação ao cliente e pela utilização de produtos cosméticos adequados e específicos para cada uma das manifestações apresentadas.

Fundamentalmente é importante que o paciente evite manipular comedões e/ou pústulas, ocasionando lesões que podem tornar-se cicatrizes inestéticas. Evitar o uso de cremes gordurosos, dando preferência a géis e loções sem óleo (oil free). O uso de esfoliantes pode ser útil em alguns casos (microcomedões), sendo desaconselhável no estágio de pústula. A higienização correta da pele é essencial.

Princípios ativos mais usados em estética para o tratamento da acne

  •  Higienizantes – usa-se tensoativos capazes de emulsionar o material gorduroso e as impurezas, removendo-os em seguida. Dá-se preferência aos tensoativos menos agressivos, como: anfóteros (amido coco propil betaína) e não-iônicos (alquil poliglicosídeos – plantaren);
  •  Esfoliante – substâncias que promovem uma leve descamação das células epidérmicas mortas por meio da ação mecânica. As principais são:

– Microesferas de polietileno;

– Pó de cavalinha: suas folhas são ricas em óxido de silício, atuando como esfoliante suave. Pode ser adicionado ao sabonete cremoso no momento da aplicação;
– Pó de semente de damasco (apricot), casca de nozes, etc;
– Púmice: consiste em um complexo de siicatos de alumínio, potássio é sódio
– Glicosferas de papaína;

  • Queratolíticos – significa “quebra” da queratina, ou seja, são substâncias capazes de desorganizar quimicamente a molécula de queratina, removendo as células epiteliais em níveis que dependem da concentração do ativo. Pode-se obter essa ação com:

– Resorcina – de 1% a 4% tem ação queratolítica suave. De 20% a 40% tem ação de forte descamação;
– Ácido salicílico – de 1% a 4% tem ação queratolítica suave;
– Ácido glicólico – enfraquece as ligações entre os corneócitos. Em cosméticos é usado na concentração de 0,5% a 10%. Nas concentrações entre 40% e 70% proporciona um peeling químico, que deve ser realizado por médico dermatologista.

  •  Cicatrizantes – regeneradores do epitélio;

– Alantoína – princípio ativo encontrado no confrei (0,8%), nas sementes de tabaco, na beterraba e no germe de trigo. Tem ação cicatrizante, calmante e amaciante de tecidos hiperqueratósicos;
– Aloe vera – (Babosa): hidratante , suavizante e hidratante. Muito usados em queimaduras;

  •  Antiinflamatórios e descongestionantes

– Ácido glicirrízico;
– Alfa-bisabolol;
– Azuleno;
– Bardana;
– Calêndula;
– Camomila;

  •  Anti-sépticos e adstringentes

– Hamamelis;
– Gerânio;
– Arnica;
– Alecrim;
– Própolis;

  •  Anti-seborréicos

– Removem o sebo: muito usados sob a forma de máscaras de limpeza. Exemplos: bentonita, caulim e Takallophane (silicato de alumínio);
– Normaliza a secreção sebácea: