Nomenclatura de Ingredientes Cosméticos

INCI é a sigla para “INTERNACIONAL NOMENCLATURE OF COSMETIC INGREDIENTS”. Em português seria, Nomenclatura Internacional de Ingredientes Cosméticos.

O INCI é um sistema internacional de codificação da nomenclatura de ingredientes cosméticos, reconhecido e adotado mundialmente, criado com a finalidade de padronizar os ingredientes na rotulagem dos produtos cosméticos. O INCI é regulado no Brasil pela RDC Nº 211/05 Anexo III item 1 (Anvisa) e Anexo IV-B-14 e C-13 (rótulo).

Se não existisse o INCI, os ingredientes cosméticos poderiam ser classificados da seguinte maneira:

1. Nomes químicos (IUPAC) (International Union of Pure and Applied Chemistry);
2. Denominação comum internacional (INN – International Non-proprietary Name);
3. Denominações de farmacopéias (americana, brasileira, européia);
4. Nomes comerciais (um para cada fornecedor);
5. CAS – Chemical Abstracts Service (codificação mundial);
6. NCM – Nomenclatura Comum do Mercosul (codificação regional);
7. EINECS – European Inventory of Existing Commercial Chemical Substances (inventário europeu das substâncias químicas existentes no mercado);

São mais de 9 MIL ingredientes usados nas formulações cosméticas e cada ingrediente pode ser descrito de diferentes maneiras. Com a INCI a identificação fica padronizada em nível mundial! Por exemplo temos o formol:

 – NOMES QUÍMICOS: metanal, formaldeído, aldeído fórmico, metil aldeído, oximetileno, oxometano, formalina
– NOMES COMERCIAIS: Karsan, Ivalon, Fanoform, Lysoform
– INCI: FORMALDEHYDE

No que respeita à rotulagem dos ingredientes utilizados nos corantes cosméticos, deve utilizar-se o número do “Colour Index” (CI) ou a denominação prevista no anexo IV, em conformidade com o n.o 1, alínea g), do artigo 6.o da directiva dos produtos cosméticos. O número CI constitui, deste modo, a denominação INCI para este tipo de ingredientes.

A classificação dos ingredientes cosméticos pelo INCI é importante para haver maior agilidade, precisão, clareza na identificação dos ingredientes, onde não há confusão com sinônimos e diferentes sistemas de nomenclatura, e facilitam o trabalho de localização de informações e de orientação para consumidores, profissionais de saúde e de vigilância sanitária.

A organização dos componentes respeita uma ordem seqüenciada começando no ingrediente mais concentrado até ao menos concentrado. Em primeiro lugar aparece muitas vezes a água, porque é quase sempre um dos maiores constituintes. No final costumam encontram-se letras seguidas de números, que indicam os ingredientes usados como corantes ou conservantes também apresentados segundo uma escala internacional.